Balanço Geral do Exercício

Caros Amigos

Antes de qualquer coisa, deixo aqui meu pesar e meus sentimentos as vítimas da tragédia que ocorre no estado de Santa Catarina. É hora de ajudar, seja com mantimentos, dinheiro ou orações. É um momento de ter calma e sobretudo, fé.
Também deixo meus sentimentos as vítimas do terror aqui na Índia, em Mumbai. Na noite de ontem houve uma “guerrilha” no centro dessa cidade.Um centro religioso e dois hotéis de luxo estão em posse dos terroristas com reféns de várias nacionalidades, mas aparentemente os terroristas estavam procurando turistas Ingleses e Norte Americanos. Ainda não se sabe se existem brasileiros reféns. Na cidade em que vivemos, Bangalore, está em estado de alerta.
É impossível entender como se mata e destrói em nome de Deus, isso é incompreensível.

Voltando a programação normal, estamos retornando para o Brasil neste sábado. Muitas coisas trouxemos na bagagem, a pouca ingenuidade que ainda tínhamos não existe mais. Aprendemos muito, na maioria das vezes da forma mais difícil, pois aprender pela experiência alheia é uma coisa, aprender por experiência própria, sentindo na carne ou no espírito sempre dói mais, mas é inesquecível.
Descobri que a espiritualidade aqui “é por seção”, ou seja, se você quiser fazer uma massagem, um tratamento ou mesmo a ir a um templo, sempre terá que deixar um troco, nada é de graça nesse mundo e isso inclui a Índia. Acho certo cobrar, mas não sejam piegas, dizendo que o valor monetário não tem tanta força por aqui.
Certo tempo da minha vida, fiz uma avaliação de potencial, nela dizia praticamente que eu não tinha coração, que minha vida é embasada em objetivos (acredito que se eu fosse homem, seria chamado se assertivo, mas deixa quieto). Quem me conhece sabe que não sou o poço de sentimentos, mas para viver aqui, realmente você não pode ser muito “apegado a raça humana”. É muita desgraça, muita pobreza, muita criança largada, muito bicho largado. Tornamos-nos mais duros.
Mas o engraçado é a esperança, essa nunca se acaba, talvez seja uma maneira de viver melhor, seja aqui ou no Brasil. “Ah daqui um ano, isso vai mudar, a cidade está melhorando”. E de fato está, relatos de pessoas que vivem aqui mais tempo, dizem que um, dois anos atrás não existia mercados grandes, a aceitação de estrangeiros era mais difícil, até o aeroporto era outro, pequeno e depredado. As coisas estão mudando e para melhor.
Infelizmente ainda não tive forças para sair sozinha na rua. Toda semana aparece no jornal uma estrangeira sendo estuprada na cidade, isso é terrível, o direito de ir e vir ceifado dessa maneira, a dependência total que tenho com o Chico, me preocupa. Por sorte, ele é uma pessoa sensata, lê o mesmo jornal que eu e entende que ir comprar refri e voltar com um trauma para toda vida, não compensa.
Temos saudades, dos nossos amigos, dos nossos familiares e do Angeloni… Damos mais valor a todos eles, e como eles são essenciais em nossas vidas.
Hoje nossa vida está na rotina, talvez por isso não tenhamos mais tanto assunto para comentar por aqui. Conseguimos transpor algumas dificuldades, se adaptar diante da diferença descomunal que existe entre Bangalore e Jaraguá do Sul. Como exemplo: Hoje, quinta feira, vamos reservar o táxi para nos levar sábado ao aeroporto, amanhã, o chico levará um mapa de nossa casa à empresa de táxi, para minimizar as chances do motorista se perder. As coisas aqui precisam ser mais pensadas, calculadas e planejadas, pois por várias razões, a probabilidade de algo não dar certo ou não dar no prazo é altíssima.
Apesar dessas coisas, o saldo é positivo, estamos mais maduros (um pouco mais velhos), temos nosso apartamento direitinho, profissionalmente o chico está super feliz com o que está desenvolvendo por aqui e estamos mais unidos – pois em situações de estresse o nó fica mais apertado ou a corda se rompe. Conhecemos mais, aprendemos mais e graças a Deus, a vocês e a nós, estamos felizes!

VN:F [1.9.22_1171]
Rating: 0.0/10 (0 votes cast)

4 ideias sobre “Balanço Geral do Exercício”

  1. Oi, Carol!
    Fiquei emocionada em ler teu texto, é exatamente o medo que eu tenho como estrangeira e preocupação em depender totalmente de alguém sem o direito de ir e vir… como somos acostumados aqui no Brasil.
    Meus planos são de ir pra Bangalore em janeiro, falta pouquinho… mas estou me preparando psicologicamente pra ficar trancada dentro de casa.. hehehehe
    Fico mto feliz em saber que mesmo com as adversidades vocês estão felizes e unidos.. espero que comigo aconteça o mesmo…
    O amor é mais forte que tudo, não é?
    Bjão
    🙂

  2. Carol, que bom poder ler teu comentário no site finalmente!
    Acho que nosso futuro depende da coragem que temos para fazer determinadas escolhas, já falei mais de uma vez que admiro você e o Chico pela coragem de assumir esse desafio, e fico muito contente em saber que vocês estão felizes, mesmo vivendo nessa loucura que é a India. Não vou me estender nos comentários, batemos um papo quando vcs estiverem por aqui!

    Beijo, boa viajem!

  3. Migaaaaaa esse teu post me apertou o coracao!!!! Mas ao menos no final do post eu vi uma luz no final do tunel… Vcs felizes = tudo o que eu posso desejar!!!!
    As vezes eu reclamo da diferenca que eh morar por aqui, mas eh ate feio reclamar de barriga cheia 🙁
    Fico feliz que assim como eu e o Seb, a corda de vcs tbm esta mais apertada e nao a outra opcao!!!!
    Saudades de vc! Esperando por vcs em BC, viu!
    beijos 1000 :))))

  4. Essa é a minha garota. É preciso coragem em todos os momentos da vida. Fiquei emocionada ao ler o teu comentário, e muito satisfeita quando falaste em fé e que estão feleizes. Pra todos nós parentes e amigos causa estranheza determinados comentários de voces, pelo que estão passando, mas ao final será recompensador pelo amadurecimento e tudo mais. A todo momento estaremos aqui pensando e enviando muita energia pra voces superarem as dificuldades.
    Um beijão pros dois.